LEI ROUANET – NOVAS REGRAS

Uma das novas regras para projetos que buscam apoio da Lei Rouanet diz respeito à contratação de pareceristas técnicos. As novas atualizações abrangem a gestão de profissionais, a classificação e distribuição dos projetos e procedimentos de análise e emissão de pareceres técnicos. As regras foram publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira (13) e serão aplicadas a partir do próximo edital de contratação, previsto para este semestre.

O novo modelo trará atualização do valor pago por cada parecer emitido. O objetivo é ter um banco com profissionais mais qualificados, que atuarão em projetos de todos os níveis de complexidade. Dessa forma, não haverá mais a separação do parecerista para atuação em apenas determinados projetos, definidos pelo nível de complexidade, como ocorre com os 319 profissionais atualmente registrados pelo Ministério da Cultura.

Cada um deles só pode analisar projetos do seu nível específico, o que pode gerar, em determinado momento, acúmulo de análise, e noutro, ociosidade do parecerista.

A análise técnica pelos pareceristas é uma das fases de análise responsável pelo processo de aprovação dos projetos apresentados ao Ministério da Cultura e, pelas definições da portaria, o trabalho se dará com nova abordagem na emissão do parecer técnico. O parecerista deverá realizar uma análise mais cuidadosa em cada um dos itens técnico-orçamentários, de forma a aprimorar a análise dos projetos antes de chegar à Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (Cnic).

Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Cultura

O PRODUTOR OU AGENTE CULTURAL E SEU PAPEL

O Produtor Cultural é o principal ator que faz com que a Cultura seja produzida, divulgada, gerenciada e muito mais. Cultura não tem cerca e é parte uma bagagem cultural já existente de um povo mas é também a sua produção constante que faz com que ela seja viva. O produtor cultural ou o agente cultural tem um papel importante neste trabalho.

A área da cultura onde mais vimos a atuação desse personagem é nas Belas Artes (cinema, teatro, dança, música, artes plásticas etc) e por isso cultura muitas vezes é confundida apenas com a produção artística.

O produtor cultural tem funções variadas dentro do mundo cultural. Pode trabalhar em todas as etapas, regiões, seguimentos. Pode trabalhar com serviço, produtos ou resgate e preservação da cultura. Continuar lendo

05 DICAS PARA TIRAR DO PAPEL SEUS PROJETOS

Olá, ano novo vida nova. Feliz 2017. Venho então lhe oferecer 05 dicas para tirar do papel seus projetos neste novo ano.

Já vou avisando que durante todo o mês de janeiro irei postar diariamente, exceto, sábados e domingos, um texto acompanhado de um vídeo falando sobre os assuntos variados que permeiam o universo dos projetos e dos eventos. Muita coisa boa vem por aí. Cultura, economia criativa, esporte, turismo, terceiro setor, sustentabilidade, cooperativismo e muito mais. Acompanhe.

05 dicas para tirar do papel seus projetos é uma pequena lista, básica e direta para que você possa realmente executar todos os itens da lista que todo o ano você cria, nem que seja mesmo só no pensamento. Veja o vídeo (clique na imagem) e depois continue o texto para aprofundar mais no assunto. Continuar lendo

A INTELIGENCIA É O CAMINHO

INTELIGENCIA
Segundo a Wikipédia, Inteligência pode ser definida como a capacidade mental de raciocinar, planejar, resolver problemas, abstrair ideias, compreender ideias e linguagens e aprender.

Segundo o Michaelis, inteligênciasf (lat intelligentia) 1-  Faculdade de entender, pensar, raciocinar e interpretar; entendimento, intelecto.  2-  Compreensão, conhecimento profundo. 3 – Filosofia –  Princípio espiritual e abstrato considerado como a fonte de toda a intelectualidade.   4 – Psicologia- Capacidade de resolver situações novas com rapidez e êxito (medido na execução de tarefas que envolvam apreensão de relações abstratas) e, bem assim, de aprender, para que essas situações possam ser bem resolvidas.  5 – Pessoa de grande esfera intelectual.  6 -Conluio, ajuste, combinação. 

Há muitos anos ouvi, do saudoso Marco Aurélio Ferreira Vianna, uma frase que nunca esqueci e sempre repito: “Tem gente que tem o cérebro 0km, nunca usou”. Fiquei fã. Depois participando de um treinamento para palestrantes com o mestre Roberto Shinyashik fiz um exercício de escolher uma palavra, e uma frase, que definisse o meu foco de trabalho, meu caminho e aí escolhi INTELIGÊNCIA EM PROJETOS E EVENTOS. Mas não foi fácil chegar a esta conclusão pois focar em algo simples e direto para mim era muito difícil pois já fiz e faço muita coisa.

Trabalho há muitos anos. Trabalhei com diversas atividades. Primeiro em casa entre 10 e13 anos, ajudei minha mãe a fazer tricô à máquina e a costurar. Depois, por um tempinho, trancei bambu para a confecção de bolsas artesanais. Porque sempre quis ser independente. Fora de casa foi aos 13 anos garçonete no restaurante das crianças em um hotel. Fiz recreação infantil em hoteis, fiz animação em festas vestida de palhaço e outros personagens. Fui locutora de rádio, guia de turismo, publiquei por 5 anos o “Informativo do Turista” e depois o “Informativo Sul de Minas”, publiquei guias de turismo de cidades do Sul de Minas, fui secretária municipal de turismo e cultura, fiz sites, fiz muita produção de eventos, ministrei muito curso sobre tudo o que eu ia aprendendo, abri uma empresa de prestação de serviços para eventos, abri uma agência de turismo, trabalhei com turismo ecológico, promovi seminários para a organização do turismo no Sul de Minas. Mudei em 2000 para São Paulo onde organizei eventos corporativos, montagem de estandes, continuei ministrando os cursos, fui gerente em empresas, me tornei produtora cultural, palestrante, presidente de cooperativa de cultura, consultora e muito mais. Muita coisa. Porém, na minha análise, no exercício para achar o meu seguimento de trabalho, acabei entendendo que tudo sempre envolveu projetos e eventos, como conteúdo central, para as áreas da cultura, o turismo, arte educação, entretenimento e tudo o que envolvia atendimento, vendas e marketing. Decidi então que PROJETOS e EVENTOS resumem minha expertise atual, fruto do que faço e fiz e o meu conhecimento adquirido nestes anos.

A palavra INTELIGÊNCIA surgiu porque sempre tive alergia à burrice. Sou do tempo em que as meninas colecionavam papel de carta e tinham agendas. E na minha agenda nos dados iniciais, na pergunta “é alérgico à”, eu sempre colocava: Burrice. Além disso, sempre usei o discurso: “me chame de feia, mas não me chame de burra”. A burrice vai além da simples ignorância dos fatos, ela é o ego atuando e fazendo com que a pessoa não pense, não queira pensar, não consiga conversar, não admita erros, não queira mudanças. Nosso cérebro é perfeito e nós, com preguiça, muitas vezes não usamos. E foi aí que finalizei com a escolha INTELIGENCIA EM PROJETOS E EVENTOS.

A inteligência é uma ferramenta que quanto mais se usa, mais ela amplia. Muitas pesquisas recentes mostram que há possibilidade em aumentar o QI. Usar a inteligência, o pensar, o questionar é fator principal do sucesso. O autoconhecimento é a chave. Observar e enxergar de todos os ângulos possíveis os problemas e dúvidas analisando cada item. Esse exercício do pensamento faz parte das minhas palestras, cursos, consultoria e ajuda em todo o planejamento, gerenciamento de riscos, criação de ideias. E posso afirmar que dá certo. Nossa INTELIGÊNCIA é nossa terapeuta, é nossa guia, é nossa fonte principal de informação, é nosso Norte. A INTELIGÊNCIA é o caminho. Um caminho trabalhoso, mas é “o caminho”.

#PRACEGOVER – a imagem é o desenho de uma lâmpada, com um cérebro dentro e um fio que sai da lâmpada e na outra ponta tem um plug para ligar. Ele está ao lado de uma tomada onde o plug poderá ser conectado. 

Gostou? Curta, comente, envie seus comentários e dicas. Mas principalmente compartilhe, CONHECIMENTO TEM QUE CIRCULAR.

ME AJUDE COM ESSA VOTAÇÃO POR FAVOR???

BANDA OBEY!Eu peço pra você ajudar a esta super banda, OBEY!, a conseguir seu lugar ao sol.

OBEY! – os meninos mandam muito bem. Uma nova geração do rock chegando.

E para isso é preciso um dimples voto. Dá pra fazer o cadastro pelo Facebook, depois é só achar a banda e votar. A música brasileira encanta o mundo e esta vai encantar os ouvintes de Portugal.  Conto com seu voto. Agradeço desde já e deixo aqui um vídeo pra você curtir lá no Youtube.

VOTE AGORA e também me ajude a conseguir mais 04 votos junto dos seus amigos. Será uma grande corrente para ajudar estes meninos super talentosos.

Obrigada! Gratidão! E por favor:  COMPARTILHE,COMPARTILHE E COMPARTILHE.

10 DICAS IMPORTANTES PARA REALIZAR OS PROJETOS

Segue aqui 10 dicas importantes que você precisa saber sobre projetos:

DICAS PROJETOS

  1. SE SEU PROJETO NÃO ESTÁ ESCRITO, NÃO TEM OS ORÇAMENTOS E CRONOGRAMAS DESENHADOS, VOCÊ NÃO TEM UM PROJETO, TEM SÓ UMA IDEIA. – Algumas pessoas têm idéias, fazem um pequeno resumo no papel, apontam as justificativas etc., mas não escrevem nada de prático. Isso não é um projeto, é uma ideia, não confunda. As perguntas que orientam para esta construção detalhada são: O que é, quanto é, para quando é, com quem é, como é e por aí vai.
  1. ESCREVA UM PROJETO PELO PROJETO E NÃO PARA UMA LEI OU EDITAL – Um projeto tem que atender a uma demanda visualizada no planejamento estratégico da pessoa, empresa ou instituição. A ação de desenhar e escrever um projeto, que custará seu tempo, deve ser alinhado com a visão geral do caminho a percorrer. Leis e editais são para viabilizar financeiramente os projetos que você sonha, que você precisa.
  1. PROJETO TEM COMEÇO, MEIO E FIM, ao contrário de uma empresa ou uma carreira que trabalhamos para que não tenha fim. Um projeto sempre tem um objetivo que, ao ser cumprido, finaliza as ações. Portanto, pensar nesse desenho é também pensar em uma boa finalização. Tem gente que faz projeto que nunca termina. Fica enrolado com prestação de contas, com finalização de fotos e vídeos etc. Isso é erro de planejamento.
  1. PROJETO TEM QUE CONTER A VERDADE, NADA MAIS DO QUE A VERDADE– Isso é muito importante para se aprender com relação aos projetos. Alguns acham que é difícil escrever, pois focam em argumentos e condicionamentos que tornam o “escrever um projeto” algo intocável. Para escrever coloque a verdade exata de como você vai fazer, o que vai precisar para construir e executar sua ação.
  1. PROJETO É UMA RECEITA DE BOLO – ao escrever um projeto escreva de forma que quem pegar o documento possa executá-lo. Ele é uma receita tem que ter todos os ingredientes e o “modo de fazer”. Para testar, dê pra alguém que não é da área ler. Se entender, maravilha, está pronto.
  1. PROJETO NÃO É TESE DE TCC – Um projeto não é uma tese para doutorado ou mestrado. Não deve ter linguagem rebuscada e deve ser de fácil compreensão. Deve ser claro, direto e prático. Somente na justificativa que é permitido dissertar sobre a importância, o contexto. Mas mesmo assim não deve ser extenso.  
  1. PLANEJE, PLANEJE, PLANEJE E DEPOIS ESCREVA – A parte mais importante na construção de um projeto é o planejamento. É nessa hora que há pesquisa de mercado, avaliação do contexto, discussão e mapeamento de riscos etc. Enquanto essa visão geral não for avaliada e processada não se deve finalizar o documento. Quanto maior a pesquisa, maior o acerto.
  1. LEIS DE INCENTIVO OU EDITAIS SÃO FÁCEIS DE ESCREVER E CADASTRAR –Nenhuma lei de incentivo ou edital é difícil de participar. Com o projeto pronto e escrito faça o que pede a lei ou edital. O que não pode é ter preguiça de ler, de buscar conhecimento. Mas, se está inseguro ou não tem tempo, sempre tem um bom produtor no mercado que pode escrever e cadastrar o projeto “com” você.
  1. CAPTAÇÃO DE RECURSOS E PRESTAÇÃO DE CONTAS COMEÇA NO PLANEJAMENTO – Essa é uma parte também muito importante de saber. Na fase do planejamento é também a hora de pensar de onde virá o dinheiro e quais as possibilidade. E como esse dinheiro será gasto e como isso será comprovado. Estes dois itens bem planejados evitam muitas dores de cabeça.
  1. PROJETO É UM MEIO, NÃO É O FIM – Outra confusão que se faz e achar que ter projetos é fundamental para a sobrevivência do grupo, da entidade, do artista etc. Fundamental é saber “o que você quer ser quando crescer, além de salsicha” (risos). Fundamental é saber aonde quer chegar e criar um planejamento estratégico. Nesse planejamento poderá conter um ou mais projetos e estes devem ter relação com o que se pretende conquistar. E não o contrário.

E é isso. Espero que tenha sido útil. Gostou? Curta e comente. Mas principalmente, compartilhe “Conhecimento tem que circular”.